quinta-feira, 1 de julho de 2010

Você ronca? Aprenda a tocar didgeridoo! (não é vuvuzela).


ResearchBlogging.org
Roncar, imagino que saiba o que é. A pergunta é: roncar é um problema? O problema do ronco é quando ele representa um sintoma da apneia do sono. A apneia do sono é uma síndrome na qual ocorrem pausas respiratórias durante o sono. A pausa respiratória leva à hipóxia e, em casos extremos, à morte. Além de perturbar o sono dos circunstantes, o próprio roncador dorme mal. A causa do ronco está no colapso temporário da via respiratória a qual não é forte o suficiente para permanecer aberta, interrompendo o fluxo de ar. 
Se você não sabe o que é didgeridoo, ou didge para os íntimos, não deve entender do que estamos falando (escrevendo, melhor dito). O British Medical Journal publicou um trabalho “Didgeridoo playing as alternative treatment for obstructive sleep apnoea syndrome: randomised controlled trial” (doi:10.1136/bmj.38705.470590.55). O didgeridoo é um instrumento musical de sopro, dos aborígenes australianos, desenvolvido há mais de 1500 anos (descobri que a minha ignorância atravessa séculos) e classificado como um instrumento aerófono. 
Se você pensou que a música do didge acalma e produz melhor sono, pode até estar certo, mas não foi esta a hipótese de quem fez o estudo. Eles se basearam no fato que para tocar o didge se usam técnicas de respiração (respiração circular) que fortalecem os músculos das vias aéreas.
Os autores compararam rocandores sem treinamento em didge com um grupo que recebeu lições do instrumento por 25,3 minutos por dia, 5,9 dias/semana. O resultado é que a intervenção funcionou:



O trabalho tem uma metodologia adequada (como esperado para um trabalho publicado no BMJ). Foram incluídos  25 indivíduos acima de 18 anos e com avaliação por especialista em sono no ano anterior ao arrolamento. Foram excluídos submetidos a outra terapia, uso de drogas com ação sobre o sistema nervoso central, aqueles com obesidade e/ou intervenção para perda de peso e com consumo de álcool superior a 14 doses/semana. Os pacientes foram randomizados entre o grupo controle e aquele que recebeu treinamento para tocar didgeridoo. 
O desfecho primário foi a sonolência durante o dia (avaliada pela escala Epworth, que varia de 0 a 24, com sono excessivo indicado por um escore maior que 11). Os desfechos secundários foram: índice de apneia-hipopnéia; índice de qualidade de sono e avaliação da perturbação do sono pelo parceiro.
O resultado é que a intervenção funcionou, conforme mostra a figura.
Conclusion Regular didgeridoo playing is an effective treatment alternative well accepted by patients with moderate obstructive sleep apnoea syndrome.”
Considerando a foto do jovem tocando didge e a do músico do filem, ambos pintados, penso que os autores deveriam haver controlado para a variável de pintura corporal, mas isto não foi esclarecido no material e métodos. Na verdade, a foto do trabalho onde aparece um homem tocando didge  mostra que não há pintura corporal. Contudo, pela plausibilidade, acho que o reforço dos músculos das vias respiratórias tem uma maior chance.
Veja abaixo um filme para já começar a sua aprendizagem de didge.







Se você aprender a tocar didgeridoo rapidamente ainda pode ser um bom negócio abrir uma clínica de tratamento de ronco.


Puhan, M. (2006). Didgeridoo playing as alternative treatment for obstructive sleep apnoea syndrome: randomised controlled trial BMJ, 332 (7536), 266-270 DOI: 10.1136/bmj.38705.470590.55

4 comentários:

  1. Tomara que funcione para o bem das mulheres vitimas de marido roncadores.

    ResponderExcluir
  2. E para os maridos vítimas das esposas roncadoras, não vai nada? Aliás, pensando neste instrumento fálico...

    ResponderExcluir
  3. Depois de duas semanas praticando o didgeridoo duvido que haja alguem que não prefira o ronco original!

    ResponderExcluir
  4. e os aborígenes australianos não roncam então? isso sim eu quero saber!!!
    camila

    ResponderExcluir