quinta-feira, 30 de junho de 2011

Macrófagos com inclusões lipídicas fornecem um ambiente ideal para a latência de Mycobacterium tuberculosis




ResearchBlogging.org

Post de Theolis Bessa

Pouco se sabe acerca dos mecanismos envolvidos na entrada em latência deste bacilo que infecta silenciosamente um terço da população mundial, e é responsável pela morte de quase dois milhões de pessoas por ano em todo o mundo. A infecção por M. tuberculosis apresenta uma eficiência impressionante: 1-10 bacilos são capazes de estabelecer a infecção nos pulmões de um indivíduo exposto aos aerossóis produzidos pela tosse de um paciente com a forma pulmonar da tuberculose. Apenas 15-20% dos indivíduos desenvolve a tuberculose imediatamente após a infecção inicial; a grande maioria dos indivíduos permanecerá infectada por toda a vida sem manifestar a doença (tuberculose latente) e 10% apresentarão a doença por reativação após um período variável de latência [1].

O artigo de Daniel e colaboradores [2] explora o fato de que o acúmulo de tracilglicerol (TAG), que ocorre para prover uma fonte de reserva energética em vários organismos durante e após a latência/hibernação, foi observado em isolados clínicos de M. tuberculosis e em macrófagos humanos cultivados sob hipóxia, em condições que mimetizariam as encontradas no granuloma (1% O2). Os autores demonstram que macrófagos infectados com M. tuberculosis mantidos sob hipóxia acumulam TAG que depois é metabolizado e seus ácidos graxos são incorporados a vários lipídeos micobacterianos (TAG, lipídeos polares, ésteres de ceras) dentro da bactéria, em um processo que envolve em grande parte a atividade da principal enzima envolvida na síntese de triacilglicerol em micobactérias, a triacilglicerol sintase 1 (ts1). Em macrófagos infectados sob condições de hipóxia as micobactérias apresentaram várias características associadas à latência, como replicação diminuída, indução da expressão de genes associados ao metabolismo lipídico, stress e dormência, resistência à rifampicina e isoniazida, diminuição da proporção de células coráveis por Auramina-O e aumento da proporção de células coráveis por Nile Red, o que não foi observado em bacilos provenientes de culturas de macrófagos infectados mantidos sob normóxia.

Os achados contribuem para a compreensão dos mecanismos que permitem a sobrevivência do M. tuberculosis no indivíduo infectado e amplia as perspectivas para a investigação de drogas capazes de agir sobre o bacilo no estágio de latência, o que permitiria a profilaxia da doença e o controle da transmissão para outros hospedeiros.

Referências:

[1] S.H.E. Kaufmann, Future Vaccination Strategies against Tuberculosis: Thinking outside the Box, Immunity. 33 (2010) 567-577.

[2] Daniel, J., Maamar, H., Deb, C., Sirakova, T., & Kolattukudy, P. (2011). Mycobacterium tuberculosis Uses Host Triacylglycerol to Accumulate Lipid Droplets and Acquires a Dormancy-Like Phenotype in Lipid-Loaded Macrophages PLoS Pathogens, 7 (6) DOI: 10.1371/journal.ppat.1002093

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário